Anuncios

terça-feira, março 29, 2011

O Maior Experimento de Todos os Tempos...

"A maioria das pessoas é outra pessoa.
Seus pensamentos são as opiniões de outra pessoa,
Suas vidas uma mímica,
Suas paixões uma citação."
Oscar Wilde


Os rastros digitais deixados por você e por todos que você conhece estão transformando nossa compreensão do comportamento humano. 

Já era conhecido o "comportamento de manada" de muitas pessoas comprando o que elas acreditam já ser popular. A indústria fonográfica tem pouco sucesso em prever quais músicas se sairão bem ou não, e sugere que o acaso pode ter nisso um papel fundamental. Ou seja os peritos não conseguem prever o sucesso, não porque são incompetentes ou mal informados, mas porque as influências sociais multiplicam o efeito do acaso. Fatores acidentais levam a canção ao topo da tabela tanto quanto a verdadeira qualidade, vejam o caso da música "Friday"  de Rebecca Black.

Agora experimentos utilizando dados de celulares para analisar a movimentação humana mostram, que apesar de nossas diferenças, que nossos movimentos seguem um padrão matemático - e somos muito mais previsíveis do que você imagina. As informações já são capazes de dizer com 90% de chance de acerto - dentro de um quilômetro de distância de uma torre de celular - onde você vai estar. Isso talvez não seja surpreendente, já que a maioria de nossos movimentos são rotineiros, indo de casa para o trabalho e de volta. No entanto, essa capacidade de prever a localização vale mesmo para quem se desloca fora da típica rotina casa-trabalho-casa.

Os cientistas descobriram que as pessoas normalmente fazem vários percursos curtos, mas, as vezes, seguem longos trajetos que as levam para territórios bem diferentes. Os detalhes precisos destes movimentos seguem um padrão matemático - conhecido como Vôo de Levy - e que está intimamente ligado as formas como animais, a exemplo de veados, abelhas e pássaros buscam alimentos.  O experimento de Levy foi realizado com gaivotas buscando alimentos no mar. Em termos matemáticos, nossos movimentos são parecidos com os desses outros animais. Portanto, não somos tão especiais, pelo menos neste aspecto.

Dada a inegável complexidade dos seres humanos, não é provável que a ciência social se torne como a física, baseada em leis eternas e gerais. Mas o acesso a dados sobre os acontecimentos humanos torna possível identificar os padrões existentes e pode ser útil para desmistificar o mundo social.

Trechos extraídos da New Scientist por Mark Buchanan.

Nenhum comentário:

Postar um comentário