Anuncios

quinta-feira, dezembro 15, 2011

PEDAÇOS DE MINAS - Gildes Bezerra

Bairro da Água Limpa, Delfim Moreira MG             .

Do Sul de Minas herdei
Montanhas só de saudades
E um vale em que já não sei
Se ainda mora a cidade,
A mesma em que já morei.

Do Sul de Minas eu guardo
Os pastos da solidão
Feitos de ausências e rastros
Por onde a dor, que nem gado,
Pasta no meu coração.

Do Sul de Minas ganhei
A paz de boi preguiçoso,
Daquele tempo gostoso
Que ainda hoje rumino,
Desde menino, e guardei.

No chão da terra mineira
Meu coração, bem feliz,
Criou raiz, criou vida
Cantando na Mantiqueira
De quaresmeira florida.

Do Sul de Minas bebi
Riacho e clara alegria,
Orvalhos de manhãs frias
Descalças no chão do dia
Da infância que já vivi.

Do Sul de Minas eu via
Luares de lua branda,
Viola em noites vadias
Nas sertanejas varandas
De prosas e cantorias.

Do Sul de Minas eu trouxe,
Nos olhos, mineiras doces,
Ardentes, belas, formosas,
Com curvas como se fossem
Montanhas harmoniosas.

No chão da terra mineira
Meu coração bem feliz
Criou raiz, criou vida
Cantando na Mantiqueira
De quaresmeira florida.

Gildes Bezerra
(Do livro “Recantares”)

É como diz o ditado: A gente sai de minas, mas minas não sai da gente!

Mais textos do Gildes Bezerra no Remanso da Quaresmeira no lado direito do Blog.

Nenhum comentário:

Postar um comentário